Pesquisa comprova: celular é a maior causa de distração dos brasileiros ao volante

Pesquisa Emotional Driving foi apresentada na Paving Hybrid. Nesta quinta-feira, destaque para Daniel Ferreira, secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento Regional; Arthur Luis Pinho de Lima, presidente da EPL; e Pablo Spyer, CEO da Vai Tourinho

Três em cada quatro motoristas brasileiros afirmam que se distraem ao dirigir, segundo a pesquisa Emotional Driving, realizada pela Marangoni, Road Steel e Gonvarri Industries. A principal causa está no uso de celular (94%), seguida por cansaço (68%), pela direção perigosa (61%) e por comer e beber (48%). A apresentação do estudo, que entrevistou de 1008 motoristas, foi feita por David Martín, diretor de pesquisa de mercado, durante a Paving Hybrid, que vai até sexta-feira, dia 22, no Expo Center Norte.

De acordo com ele, a pesquisa trouxe a representatividade brasileira no volante, a pegar uma amostragem que respeita a faixa etária, as regiões e o gênero. Sobre o celular, ele afirmou que 85% se distraem ao escrever mensagens; 84% ao procurar informações; 83% ao ler notícias; 82% ao ler mensagens no WhatsApp; e 81% ao tirar fotos. Para mitigar a questão do celular, a pesquisa apontou que 53% utilizam o bluetooth, enquanto 25% desligam o celular e 14% usam o modo direção.

Sobre segurança viária, o que mais motiva os condutores a dirigir de forma responsável é o medo de acidentes (88%), seguido pelo pensamento na família (85%). “Sete em cada dez entrevistados asseguraram ainda que alguma vez tirou o pé do acelerador ao pensar em alguma pessoa próxima, ressaltando que o importante é chegar ao local de destino”, disse Martín.

A pesquisa trouxe ainda um dado curioso – oito em cada dez motoristas acreditam que os condutores não dirigem de forma segura, entretanto nove em cada 10 respondentes disseram se considerar uma pessoa que busca ser responsável ao dirigir. E, para o público entrevistado, os acidentes ocorrem nas vias brasileiras porque os brasileiros não respeitam a distância de segurança (74%) ou não conduzem adequadamente o veículo (71%).

A programação do primeiro dia da Paving Hybrid também contou com a palestra de Marcelo Rezende, diretor de Negócios da Renova, que mostrou como identificar postes colapsíveis certificados, que devem ter marcação de rastreabilidade; Leonardo Neves, diretor da Engeneves e André Kashiva, diretor da Premium Representações, falaram sobre as tecnologias não destrutivas para novas redes de infraestrutura subterrânea; Jefferson Carlos da Silva, consultor de Engenharia na Abrasfe (Associação Brasileira de Empresas de Formas e Escoramentos), mostrou soluções especiais em formas e escoramentos para obras de infraestrutura; e os engenheiros Fernando Puglierom e Elemar Taffe, diretor presidente e gerente de Engenharia da Pavesys Engenharia, respectivamente, trouxeram informações sobre a geração de planos de investimentos em pavimentação de redes rodoviárias através da utilização de sistema de gerência de pavimentos.

O painel de encerramento das atividades ficou a cargo de SIlvia Cristina Mugnaini, presidente da ABSeV sobre o 1º Prêmio ABSEV de Segurança Viária, com o tema Tecnologias e Ações em Segurança Viária, e pelo Henrique Faria, consultor em Segurança Viária, sobre Pontos Críticos: Identificação e Tratamento.

Assessoria de Imprensa:

 Mecânica Comunicação Estratégica

Tels.: (11) 3259-6688/1719

E-mail.: meccanica@meccanica.com.br

 - 
Arabic
 - 
ar
Bengali
 - 
bn
German
 - 
de
English
 - 
en
French
 - 
fr
Hindi
 - 
hi
Indonesian
 - 
id
Portuguese
 - 
pt
Russian
 - 
ru
Spanish
 - 
es