Mercado de equipamentos para pavimentação está investindo em eletrificação e inovações no ecossistema da obra

Mercado de equipamentos para pavimentação está investindo em eletrificação e inovações no ecossistema da obra

O Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, estará presente na Paving Hybrid, a partir das 16h00. O evento híbrido acontece no Expo Center Norte, com transmissão online

 Eletrificação, maior conectividade entre as máquinas no ecossistema da obra e equipamentos autônomos são tendências que estão sendo trabalhadas pela indústria, com o objetivo de imprimir ainda mais eficiência, produtividade e agilidade na solução de problemas e, ao mesmo tempo, reduzir custos para os usuários. Essa foi uma das conclusões do painel Novas Tecnologias e Soluções para Maior Eficiência na Pavimentação, promovido pela Câmara Setorial de Máquinas Rodoviárias (CSMR) da Associação Brasileira da Indústria da Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ), durante a Paving Hybrid, que termina nesta sexta-feira, dia 22 de outubro, no Expo Center Norte.

“O setor da pavimentação é precursor na conectividade dos equipamentos e, ao transmitir a informação, em tempo real, permite que o colaborador que sai da oficina para o campo, com um diagnóstico feito remotamente e, dependendo da situação, leva o componente necessário para solucionar o problema, gerando valor para o cliente, devido à agilidade e produtividade”, explicou Maurício Mazzutti, gerente de suporte ao cliente da John Deere.

Segundo Carlos Eduardo Santos, gerente de vendas da Dynapac, a conectividade entre os equipamentos de todo o ecossistema possibilita saber, por exemplo, quanto está sendo consumindo de asfalto e verificar se a usina possui a capacidade de produzir essa quantidade e, caso não seja, pode se reduzir a velocidade da pavimentadora para não ter gargalo na obra e, com isso, otimizando recursos. “O empreiteiro está com as margens cada vez mais apertadas, por isso cada centavo recebido pela eficiência do equipamento é importante, além de torna-lo mais competitivo perante aos concorrentes. Por isso, a indústria da construção civil está buscando ser mais eficiente nos detalhes”, acrescentou.

Outros benefícios trazidos pela tecnologia, conforme avaliação de Thiago Romanelli, gerente comercial da Romanelli, são a execução com mais precisão, o que irá gerar economia de recursos; e a garantia de segurança na operação, uma vez que é possível acompanhar todo o processo de forma remota, gerenciamento e monitorando a obra.

Para Adriano Correia, diretor comercial da CIber/Wirtgen Group, a Internet das Coisas permite que os equipamentos se comuniquem a todo o momento, produzindo uma grande quantidade de dados, gerando uma oportunidade a ser explorada. “Para liberar esse valor ao cliente de forma otimizada, dentro da cadeia de produção, é preciso encontrar e desenvolver soluções assertivas”, disse. A seu ver, o mercado precisa pensar diferente em todo o processo, para aproveitar as tecnologias dos equipamentos, que ampliam a produtividade, diminuem custos e aumentam a rentabilidade.

Em termos de eletrificação, a Romanelli e a John Deere estão trabalhando nessa tecnologia, assim como a Dynapac, que lançou um rolo compactador e pavimentadora elétricos. Na avaliação de Mazzutti, da John Deere, outra tendência são os equipamentos autônomos. “Hoje, a máquina conectada e inteligente começa a realizar os ajustes de parâmetros para entregar uma perfomance diferenciada, já no autônomo, ele fará a operação como um todo”.

Moderado por Valmir Bonfim, diretor da Fremix, o painel da CSMR da Abimaq na Paving Hybrid ainda tratou da importância da capacitação profissional, mostrou como a tecnologia facilitou a operação dos equipamentos de pavimentação, e trouxe algumas ações feitas pelas marcas para atender os critérios de sustentabilidade ambiental.

A agenda incluiu ainda palestras de Josué Santos, supervisor de Vendas da Dynapac, sobre as ferramentas de monitoramento remoto da frota e do processo de pavimentação; e de Vicente Longatti Neto, gerente nacional de Vendas da Copagaz, sobre o uso e a aplicabilidade do gás liquefeito de petróleo em usinas de asfalto.

Nesta sexta-feira, dia 22, além da participação do Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, a Paving Hybrid terá como destaques: Fábio Abrahão, diretor de Concessões e Privatizações do BNDES, que abordará investimentos e infraestrutura; André Kuhn, diretor-presidente da Valec, que falará sobre os desafios da nova Lei de Licitações; e Luiz Fernando Devido, diretor de desenvolvimento da CET, que comparará o terminal absorvedor de energia e o amortecedor de impacto.

Assessoria de Imprensa:

 Mecânica Comunicação Estratégica

Tels.: (11) 3259-6688/1719

E-mail.: meccanica@meccanica.com.br

 - 
Arabic
 - 
ar
Bengali
 - 
bn
German
 - 
de
English
 - 
en
French
 - 
fr
Hindi
 - 
hi
Indonesian
 - 
id
Portuguese
 - 
pt
Russian
 - 
ru
Spanish
 - 
es